histórias
relacionadas
  • Lilly
  • Odorico Machado de Souza
todas as histórias

Edson Aparecido Liberti

DEPOIMENTO

“Não houve depois um trabalho de Anatomia Topográfica neste mesmo nível”, afirma o professor de Antomia Edson Aparecido Liberti, do ICB-USP, ao comentar o livro Anatomia Topográfica. Parte Especial. Membro Superior: “Odorico Machado de Souza ocupou a cátedra depois de Renato Locchi. É um livro de Anatomia médico-cirúrgica que descasca o corpo em camadas, de forma topográfica, diferente da Anatomia Descritiva, e serve para guiar o trabalho do cirurgião que em alguns cortes, vias de acesso curtas, tem que chegar rapidamente ao objetivo. Os ganchinhos separam as artérias dos nervos. Nessa época, os alunos de Medicina tinham três cursos de Anatomia, duas descritivas e uma topográfica (que implicava em dissecação de corpos). O desenho de Lilly lembra o livro de Anatomia do Rouvière, mas neste as ilustrações não chegam ao nível da Lilly. A qualidade também dependia das dissecações e de trabalho de laboratório”.

Lilly Ebstein Lowenstein (1897-1966) viveu entre a ciência e a arte, desenhando e realizando fotografias nos campos da medicina e da zoologia. Em seu trabalho, Lilly conjugava o conhecimento técnico da fotografia e do desenho, o estudo das ciências e um notável talento estético. Nascida na Alemanha, ela estudou na Escola Lette-Verein em Berlim entre 1911 e 1914. Em 1925 imigrou com o marido e dois filhos para São Paulo. Em 1926, tornou-se desenhista e fotomicrógrafa da Seção de Desenho e Fotografia na Faculdade de Medicina (USP, a partir de 1934), da qual seria chefe por trinta anos a partir 1932. Entre 1930 e 1935 Lilly foi colaboradora do Instituto Biológico de Defesa Agrícola e Animal, principalmente da sua Seção de Ornitopatologia. Uma vida com arte dedicada à pesquisa e difusão da ciência.